sexta-feira, 30 de março de 2012

Resenha "Mais Estranho que a Ficção"


Plena sexta feira, eu morto de cansaço me forço a ir pra faculdade porque depois do feriado vai começar a bateria de provas e eu queria pegar os últimos bizus. Mas chego na sala e sou arrebatado por uma boa surpresa. O professor, ignorando a cultura de ou revisar a matéria de dois meses em uma única aula ou jogar ainda mais matéria e colocar um terror de que a prova vai ser difícil, leva uma tevê pra sala e coloca um filme pro pessoal relaxar. Eu tava a ponto de sair de fininho, doido pra ir pra casa, mas o filme me chamou a atenção e eu fiquei.


E, cara, como o filme me agradou! Que história bacana! E, melhor de tudo, fala sobre a arte de escrever, de um jeito filosófico e bem leve.
"Essa é a história de um homem chamado Harold Crick e seu relógio de pulso"
O filme conta a jornade de Harold, muito bem interpretado pelo adorável Will Ferrell. Harold é um homem metódico, que vive sua vida monótona e planejada ao extremo. Tudo muda quando ele começa a ouvir uma voz em sua cabeça, uma voz feminina, que narra tudo o que ele faz e pensa como se ele fosse um personagem em uma história e um narrador em terceira pessoa, onisciente, o guiasse pelo caminho da trama.



O interessante é que, de fato, é essa mesmo a premissa do filme: Harold é um personagem, um dos muitos de uma talentosa escritora que tem o costume de matar todos os seus heróis no fim de seus livros. A escritora, também bem interpretada por Emma Thompson, está passando por um bloqueio criativo e não consegue encontrar uma forma de matar o seu protagonista.
Harold descobre que ele é um personagem e começa a lutar por sua própria vida, para não morrer, com a ajuda de um professor de literatura, interpretado pelo sensacional Dustin Hoffman.
A produção conta ainda com a atriz Maggie Gyllenhaal no papel do love affair do herói atrapalhado.
A premissa do filme, admito, é melhor do que o seu desfecho. Se analisarmos a estrutura do roteiro, percebemos que o roteirista, inconscientemente, acho, acabou por criar dois protagonistas ao invés de um: além de Harold e sua luta por sua própria vida, há a crise da escritora que pode acabar com ela, que se revela como uma nova perspectiva sobre o caminho da história e acho que isso afeta o inconsciente de quem assiste. A platéia assume o olhar do protagonista quando assiste a um filme e os seus problemas e provações são os nossos, nós sofremos com eles. Nesse caso, há uma quebra e acabamos divididos em dois dramas muito distintos, o que acho que afeta o sentimento que nos fica no fim da história. Diferentemente de filmes com múltiplos personagens e múltiplas tramas, como é o caso de "Crash" e "Pulp Fiction", por exemplo, a premissa desse filme não é essa.
Mesmo assim, achei o filme excelente e surreal. Me fez pensar na figura do escritor e em como ele de fato pode ser um deus, dando rumos para vidas ou acabando com elas.
No filme, criador e criatura coexistem no mesmo universo e isso cria uma dinâmica muito legal. Recomendo.

8 comentários:

Jacques disse...

Olá, Alexandre.
Ainda não vi este filme, que me parece muito bem bolado e original em sua premissa.
Acho este ator bem fraco, mas dependendo do papel e do diretor, ele pode surpreender.
Agradeço tua passada lá no FC e concordo contigo; os clichês por si só não são ruins, a form deles serem usados é que faz toda a diferença.
Tu tem perfil no Filmow.com, Alexandre, acho que irias gostar.
É uma rede social onde se comenta filmes e se indica para os amigos.
Abraço, Alexandre.

Joicy Sorcière disse...

Tenho um problema com esse ator... os filmes que assisti com ele foram péssimos. Mas, esse filme eu vi trailer e me interessei!

Tem entrevista lá no umas e outras... confira!

bjks :)

alexandre disse...

Gente, pelo jeito sou minoria quanto ao Will Ferrell! rsrs! Eu gosto do cara! Vi um ou outro filme dele que não gostei, mas vi alguns dos quais gostei muito! Eu gosto do jeito pastelão dele, sou meio bobo, mesmo! rs! Nesse filme, ele tá bem sério, apesar de uns poucos momentos cômicos!

Bruno disse...

Olá Alexandre!
Ainda não conhecia esse filme,gostei bastante da sinopse e do elenco que o compõe,atores muito bons e gabaritados.
Um Abraço!

Bruno
http://oexploradorcultural.blogspot.com

Aline Diedrich disse...

Esse filme acabou de entrar para a minha lista de: Preciso ver!

Luciana Souza disse...

Oi Alexandre
Eu demorei, mas antes tarde do que nunca (kkkkkk). Eu assisti a esse filme, e gosto desse ator, é muito legal o filme mesmo, e o seu texto, como sempre é ótimo.
Bjão e um ótimo final de semana.

http://ashistoriasdeumabipolar.blogspot.com.br/

ੴʆαℜιѕѕαੴ disse...

Esse filme é muito legal,assisti uma vez na televisão mas não consegui ver o nome e passei muito tempo procurando na net,acabei de encontrar nesse site muitoo obrigada...eu recomendo muito esse filme,não passei meses procurando ele a toa,é muito bom mesmo!!

Antonio Felipe Calabrez disse...

Aos interessados favorita aí 'velhinho', fiz um review -

https://rezenhando.wordpress.com/2016/05/30/rezenha-critica-mais-estranho-que-a-ficcao-2006/

Curtam no face a página: https://www.facebook.com/rezenhandoaculturapopaz